Cabeçalho

terça-feira, 16 de julho de 2019

"Os pretos-africanos foram todos moldados pelas concepções teológicas da religião cristã"


Por: Simão Bengui Eduardo II (2019)

"Os pretos-africanos foram todos moldados  pelas concepções teológicas da religião cristã seja ela católica ou  protestante. 

Estas duas instituições coloniais presentes em África mudaram significativamente o curso dos acontecimentos em África, e ao mesmo tempo servem de plataformas ideológicas permanentes para o sucesso do sistema Racista na mudança de percepção dos Africanos na compreensão da história e no resgate das migalhas culturais que restaram em África. 

Hoje é difícil tentar elevar a mentalidade dos pretos para uma consciência crítica quanto a sua condição neste mundo. É difícil mudar a mentalidade dos Africanos voltadas a si mesmo para terem uma visão diferente sem as ampolas dogmáticas do cristianismo. A religião do colonizador ofereceu aos africanos uma estrutura mental e de pensamento para serem submissos a todas as suas narrativas, seja no campo da ciencia ou mesmo pela via da cultura. É difícil mostrar isso hoje, tanto para os Africanos que nasceram em África outros na Diaspora o sistema de pensamento é o mesmo, todos foram configurados na estrutura dogmática da religião. 

Os que se encontram no continente  estão muito mais centrados e perdidos nas narrativas míticas do cristianismo, tudo que a Bíblia apresenta para os que foram colonizados é verdade, já não há motivos para duvidarem e saberem um pouco dos preceitos das suas próprias tradições.

Quando os Europeus olham para a África hoje se orgulham com processo organizativo de todo sistema racial de domínio nas terras de África. A evangelização dos pretos surtiu os seus efeitos. Os missionários cumpriram com a sua missão de destruírem o pensamento dos negros e as suas tradições. Todo o tipo de discurso ganha sustentação olhando para o comportamento dos que são produto final da evangelização, se olharmos para o passado não há muita diferença com os reis do Congo que destruíram suas tradições e aceitaram a religião do Colonizador que trouxe a visão do mundo que os descendentes têm hoje.

De certa forma todos processam e destilam os dogmas da religião cristã. Na Diaspora os pretos Africanos em vez de defenderem suas tradições e crenças dentro do sistema espiritual que se chama candomblé ou casa Ubuntu perseguem todas estas tradições e corroboram com o Estado racista do Brasil. Em África onde esta fonte de todas estas tradições os nativos demonizam ainda mais o  que restou e o que não sabem e não têm conhecimento. Só se reproduz o discurso do cristianismo e as suas narrativas de afirmação no combate ao paganismo. Tudo porque a forma de pensar dos oprimidos e as cadeias de percepção e noções que usam para interpretar o mundo é a religião cristã que elabora. Todos neste continente são ensinados a terem uma visao mecânica da existência tendo como o suporte a Bíblia. 

Os da Diáspora se encontram presos na mesma estrutura, e na África os nativos reproduzem o mesmo sistema de pensamento religioso dogmático sem no entanto saberem que estão servindo uma religião que perseguiu/e persegue suas tradições e crenças assim como a sua cosmovisão. O ciclo se repete sempre, os colonizados sentem orgulho e sentem-se felizes com tudo que os Europeus fizeram na África."

Um comentário:

  1. Qual é a razão da sua existência?
    Quem te da vida?
    Quantos cabelos têm na sua cabeça?
    Esse texto que o senhor acabou de redigir, não diz do que você mesmo acredita dentro de si tem duvida e perguntas que não tem resposta.
    Que essas respostas não são encontradas cepticamente, e sim mediante a fé

    ResponderExcluir

Deixe ficar o seu comentário.

Tecnologia do Blogger.