Biografias

Conheça Soraya Odia e saiba a ideia principal das fotos

As fotos foram tiradas pelo fotógrafo Nizar Saleh.  Estamos falando, é claro, das fotos em que conseguimos ver uma jovem "vendendo" livros e que lhe.

A ideia principal por trás dessas fotos era de monstrar que o ser humano não deve apenas nutrir seu corpo, mas também alimentar sua mente com os livros que são o próprio símbolo do pensamento transcrito.

Quanto a esta magnífica jovem, activista apaixonada por belas letras, e Secretária-Geral Adjunta da associação MULHERES DE CARTAS CONGOLESAS (FELCO), segue o seu perfil.

Soraya Odia, mais conhecida por seu nome artístico MAJUSCAUX, é uma autora e blogueira congolesa (RDC), nascida em 1996.


Soraya fez sua estreia literária em 2012, ganhando o terceiro prêmio no concurso Novas Plumas Conscientes.  Em 2017, voltou à cena literária como caçadora com Lipoposlam.

Desde então, ela tem participado de vários projectos no mundo literário evoluindo como um slammer com Aperoesie e Concert de mots que são organizações que trabalham para promover belas letras em Kinshasa.

Soraya também participou de workshops de redação organizados pelo Instituto Francês de Kinshasa e pela Tarmac des Authors.

Soraya também é ativista literária. Em 2017, ela criou o blog literário "Majuscaux" https://msha.ke/majuscaux para compartilhar suas leituras e promover a literatura para seus compatriotas.


Depois de obter seu diploma de bacharel em gerenciamento de projectos em setembro de 2019, Soraya Odia criou um clube do livro onde jovens entre 20 e 30 anos que moram em Kinshasa se encontram uma vez por mês para discutir suas leituras.

Em fevereiro de 2020, Soraya se apresentou na noite de encerramento do Festival do Livro de Kinshasa como um slammer.

Sempre com o objectivo de promover a literatura, em abril de 2020, criou um canal no Youtube, https://www.youtube.com/c/Majuscaux denominado "Majuscaux", onde fala sobre literatura africana e congolesa.  Seis meses após sua criação, o canal conta com mais de 950 inscritos.

Desde maio de 2020, Soraya iniciou um projeto que lhe permite combinar seu conhecimento em gestão de projetos e seu ativismo literário;  mantém uma biblioteca circulante na cidade de Kinshasa.

Fonte: A Vida Negra Importa 

Postar um comentário

0 Comentários