Pular para o conteúdo principal

Biografia da Lupita Nyong'o


Lupita Amondi Nyong'o é uma atriz de origem queniana que venceu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pela atuação no filme "12 Anos de Escravidão" em 2014. O nome Lupita é uma forma carinhosa de se referir à padroeira do México, Nossa Senhora de Guadalupe.

A atriz nasceu no México, quando seu pai era professor convidado de Ciência Política na Cidade do México. A família voltou para o Quênia, país de origem, quando ela tinha menos de 1 ano de idade. O pai de Lupita, a segunda de seis filhos, assumiu o cargo de professor na Universidade de Nairóbi.

Em sua infância na África, Lupita teve o primeiro contato com a interpretação. Na escola, ela costumava ser a primeira a escolher os personagens e representar para colegas e familiares. Aos 16 anos, voltou para o México para fazer intercâmbio e estudar espanhol, idioma no qual é fluente, assim com o inglês, swahili e luo, línguas de etnias africanas.

Lupita estudou cinema na Yale School of Drama, na universidade americana de Yale e chegou a fazer figuração, estrelou um curta-metragem, além de trabalhos atrás das câmeras. Atuou no filme "O Jardineiro Fiel", do renomado cineasta brasileiro Fernando Meirelles, em 2005. Em 2008, Lupita estrelou o curta "East River" e em seguida voltou ao Quênia para atuar em uma série da TV local chamada "Shuga". Dirigiu o documentário "In My Genes", lançado em 2009, sobre as pessoas albinas no Quênia.

Entre um trabalho e outro, surgiu o teste para o filme "12 Anos de Escravidão", que lhe rendeu o Oscar. Na mesma categoria, ela ganhou um Globo de Ouro, o Independent Spirit Awards e o Screen Actors Guild Awards, também pelo seu trabalho no filme.

Em 2014, a atriz foi eleita como a mulher mais bonita do mundo pela revista People, desbancando 50 mulheres.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Morre na nigeria a primeira mulher piloto de Helicóptero

A Força Aérea nigeriana (NAF) anunciou hoje (15/04), a morte da primeira mulher piloto de helicóptero Late Arotile, devido a ferimentos causados ​​por um acidente de viação NAF Base Kaduna. "É com muita tristeza que a Força Aérea da Nigéria (NAF) anuncia com tristeza a morte infeliz do oficial voador Tolulope Arotile, que morreu em 14 de julho, como resultado de ferimentos na cabeça sofridos por um acidente de trânsito na NAF Base Kaduna.⁣ “Até sua morte, o oficial voador Arotile, que foi comissionado na NAF em setembro de 2017 como membro do Curso Regular 64 da Academia de Defesa da Nigéria, era a primeira mulher piloto de helicóptero de combate do Serviço. ” “Durante sua curta mas impactante permanência no Serviço, a falecida Arotile, que veio de Iffe na área do governo local de Ijumu, no estado de Kogi, contribuiu significativamente para os esforços para livrar os Estados da América do Norte de bandidos e outros elementos criminosos, realizando várias missões de combate

Rapper sul-africano, AKA se recupera do coronavírus após 13 dias

O rapper sul-africano Kiernan Jarryd Forbes ou simplesmente AKA, se recuperou da doença que assola o mundo depois de ter revelado ter a doença na semana passada. O rapper revelou seu resultado positivo através de um comunicado divulgado nas redes socias na semana passada, onde compartilhou o seu isolamento com todos, já que pretende ser transparente  Com isso, o rapper partilhou  hoje (15/07), no seu Twitter que se recuperou do vírus depois de 13 dias.

Covid-19: Jair Balsonaro volta a testar positivo

Bolsonaro voltou a testar positivo ao novo coronavírus, depois de oito dias do primeiro exame, Jair revelou não ter febre desde o dia 6, nem outros sintomas da Covid-19. Porém, o presidente realizou também análises sanguíneas e um exame ao coração que, de acordo com o próprio, apresentaram resultados normais. Segundo a Tv Miramar, desde que testou positivo à Covid-19, no passado dia 7 de junho, Bolsonaro está em isolamento no Palácio da Alvorada, a sua residência oficial. Na conferência de imprensa que realizou nesse mesmo dia, o presidente desvalorizou o diagnóstico.